• Assine-Já
  • Minha Conta
  • E-mail
  • Obtendo... Obtendo cidade 00º C Obtendo tempo... 00:0000:00 -- km/h


    A Polícia Civil encontrou, nesta terça-feira (12), o corpo de Bianca Lourenço, de 24 anos, que estava desaparecida desde o dia três de janeiro.

    A jovem é ex-namorada de Dalton Vieira Santana, suspeito de chefiar o tráfico de drogas na comunidade da Kelson's.

    O corpo foi encontrado mutilado e boiando na praia da Ilha do Fundão, na mesma região onde fica a favela da Kelson's. Segundo a polícia, o corpo encontrado tem tatuagens iguais as de Bianca.

    Segundo testemunhas, ela teria sido morta por Dalton, que não aceitava o fim do relacionamento. Elas afirmam que Bianca foi morta na comunidade pelo ex-namorado ou a mando ele.

    A Polícia Civil informou que a jovem foi retirada pelo ex-namorado à força de churrasco com amigos. De acordo com as investigações, após retirar Bianca do local no domingo, Dalton seguiu para a favela. A partir daí, ninguém soube mais nada da jovem.

    No quarto dia de angústia por não ter notícias da filha, o pai de Bianca Lourenço contou ao RJ2 que foi até a favela onde Bianca desapareceu para falar com o ex-namorado da filha, que é apontado como chefe do tráfico na região.

    Postagem antes de sumir

    No mesmo dia em que desapareceu, a jovem publicou fotos em redes sociais e escreveu:

    "Não existe nada melhor do que acordar em paz, estar em paz, viver em paz... Não me preocupo com mais nada. Obrigada, meu Deus".

    O pai de Bianca contou que havia três meses já estava bastante preocupado com a segurança da filha. Ele conseguiu que a filha deixasse a favela e terminasse o namoro. A jovem estava vivendo com ele há dois meses em outro bairro.

    Também segundo ele, o ex-namorado da filha nunca a deixou em paz, e nunca aceitou o fim da relação.
    "Tentei tirar ela de todo jeito da favela. Eu já tava ajeitando o quarto dela, as coisas dela.", disse.
    Ele contou ainda que foi à favela para falar com o ex-namorado, mas não conseguiu descobrir onde ela está.

    "Pedi a ele pra me ajudar se ele pudesse... Se tivesse acontecido, se ele pudesse devolver o corpo da minha filha, que poderia me entregar do jeito que tivesse, que ele poderia me tirar pelo menos a dor de pai, pelo menos de eu poder enterrar minha filha", afirmou.

    O pai da jovem prestou depoimento nesta quarta na delegacia. Ela contou o que sabe e agora espera uma resposta da polícia.

    "Para todos, ele falou que matou ela. Não falou para mim, mas falou pros outros. Falou que tinha colocado ela num carro, e que tinha mandado ela embora. Mentira. Que ela já tinha que estar aqui em casa há muito tempo, se isso fosse verdade", afirmou.